Rua Haddock Lobo 210 

Tijuca
Rio de Janeiro, RJ 

atendimento@marihalopes.com

www.marihalopes.com

Tel: (21) 99775-0300

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon

© 2017 por BBA MKT DIGITAL. 

Há formas diferentes de se expor ao seu medo, a mais fácil é observar alguém fazendo a coisa de que você tem medo, por exemplo: se você tem medo de viajar de avião, uma boa atividade seria ir ao aeroporto e observar os aviões aterrissando e levantando vôo. Isso lhe daria informações diretas de segurança.

Um segundo passo é exercer a prática de imaginar as diferentes situações que você tem medo, mas antes seria levantado uma hierarquia do medo das situações que você teme, exemplo: sua hierarquia do medo começou com a imaginação de si próprio, sentado em casa, um dia antes do vôo, pensando no vôo; a seguir, se deslocando até o aeroporto; até chegarmos no imaginário de estar sentado no avião durante uma tempestade, com turbulência inimaginável.

Um terceiro passo é a exposição à situação real, de fato ir às situações listadas em sua hierarquia. Você começará com o que é menos assustador e, gradualmente, vai se envolver em exposições passo a passo, até chegar à situação mais temida. Essa técnica é chamada de dessensibilização sistemática.

Apesar de ser uma técnica satisfatória, muitas pessoas apresentam dificuldade em idealizar imagens, para outras pessoas o deslocamento até o local temido gera muita ansiedade ou o local pode ser distante e gerando um custo adicional.

Hoje, além da exposição imaginária, contamos com a tecnologia através da Realidade Virtual.

O sistema de Realidade Virtual tem inúmeras aplicações na psicologia, por exemplo na avaliação de transtornos alimentares e diversas fobias, como medo de aranha e voar de avião. Os ambientes virtuais simulam situações reais temidas pelo paciente e hoje sua eficácia já é descrita em diversos trabalhos nos Estados Unidos e Europa.

VANTAGENS DE UTILIZAR A REALIDADE VIRTUAL NOS TRATAMENTOS DE FOBIAS:

Redução do custo; não há necessidade de deslocamento, pode ser realizada no consultório do terapeuta; permite a privacidade e maior segurança no tratamento; ideal para pacientes muito fóbicos e resistentes à exposição à situação real; permite controle do terapeuta sobre a situação, inclusive medir respostas fisiológicas do paciente; possibilita exposição a diversos ambientes sem a perda de tempo do deslocamento e auxilia no estímulo da memória visual, apresentando estímulos visuais.

 

 

 

 

Fonte: Leahy, R. Livre de ansiedade;

            Wauke, A.P.T, et all. VESUP: O uso de ambiente virtual no tratamento de fobias urbanas.