Escala ACE - Experiência Adversa da Infância






O estudo da Escala Ace (Experiências Adversas na Infância) foi iniciado em 1985 quando o Dr Vicennt Felitti estudava sobre obesidade. Em parceria com um plano de saúde obteve a participação de mais de 17 mil adultos em sua pesquisa realizada no Departamento de Medicina Preventiva da Kaiser Permanente (KP) em San Diego.


O estudo apresentou uma visão importante em relação a como nos tornamos, o que somos como indivíduos e nação. O estudo apresenta uma poderosa relação entre nossas experiências emocionais da infância e o impacto disso em nossa saúde emocional adulta, saúde física e principais causas de mortalidade nos Estados Unidos. Um dos fatos do estudo salienta que o tempo NÃO cura algumas das experiências adversas que vivenciamos na infância.


O Estudo ACE comparou o estado atual de saúde dos adultos participantes em oito categorias de experiências adversas na infância. Três categorias pertencem ao abuso sexual: abuso físico recorrente, abuso emocional recorrente e abuso sexual. Cinco categorias relacionados ao crescimento em um lar disfuncional, com pessoas alcóolicas ou usuários de drogas; se alguém esteve na prisão; cronicamente deprimido, doente metal ou suicida; mãe tratada com violência e separação/divorcio dos pais.


Uma pontuação ACE foi construída para analisar a enorme massa de informações que coletamos. Uma pessoa exposta a nenhuma das categorias estudadas teve um ACE Score de 0; um indivíduo exposto a quaisquer quatro teve uma pontuação ACE de 4, etc.


Uma descoberta surpreendente foi que experiências adversas na infância são muito mais comuns do que parece. Foi observado que eles tinham uma correlação poderosa com a saúde do adulto meio século depois. É essa combinação que os torna tão importantes. Pouco mais da metade de população americana de classe média de membros de planos de saúde experimentou uma ou mais das categorias estudada. Um em cada quatro foi exposto a duas categorias de experiência abusiva, um em 16 a quatro categorias. Dada a exposição a uma categoria, há 80% de probabilidade de exposição a outra. Tudo isso, é claro, está bem protegido por tabus sociais contra a obtenção dessas informações. Além disso, pode-se “perder a floresta por causa das árvores” se estudarmos essas questões individualmente. Eles não ocorrem isoladamente; por exemplo, uma criança não cresce com um alcoólatra ou com violência doméstica em uma casa que funciona bem. A pergunta a ser feita é: como essas experiências de infância se desenrolarão décadas depois no consultório médico? Como alguém executa a alquimia reversa, passando de um recém-nascido normal com potencial quase ilimitado a um adulto doente e deprimido? Como transformar ouro em chumbo?


  • Pessoas com índice ACE até 4 apresentavam duas vezes maior probabilidade de diagnóstico de câncer em comparação com pessoas que não apresentavam historico de ACE.


  • Para cada ACE uma mulher apresenta um risco acrescido de 20% relativo à necessidade de hospitalização devido a doença autoimune.


  • Pessoa com histórico de ACE 4 apresenta 460% mais propensão em sofrer de depressão comparado a alguém sem histórico de ACE.


  • Ace de 6 ou mais demonstra uma redução na vida da pessoa de quase 20 anos.



Calcule a Escala ACE


Responda de forma reflexiva e com ponderação cada item, reflita antes de responder.




Durante seus primeiros 18 anos de vida:


1- Algum dos seus pais ou outro adulto que vivia em sua casa frequentemente...

Lhe insultava ou humilhava?

Ou agia de forma que lhe provocou medo de ser fisicamente machucado?



2- Algum de seus pais ou outro adulto que vivia em sua casa frequentemente...

Lhe puxou, agarrou ou lhe atirou alguma coisa?

Ou alguma vez lhe bateu com força a ponto de deixar marcas?



3- Algum adulto ou outra pessoa pelo menos cinco anos mais velha do que você alguma vez...

Lhe tocou ou lhe obrigou a tocar no corpo dela de forma sexual?

Ou tentou ou teve alguma relação sexual (oral, anal, vaginal) com você?



4- Você sentiu frequentemente que...

Ninguém na sua família lhe amava ou pensava que você era especial ou importante?

Ou as pessoas de sua família não olhavam umas pelas outras, não se sentiam próximas umas das outras, ou não se apoiavam?



5- Você sentiu frequentemente que...

Não tinha o suficiente para comer, tinha que usar roupas sujas, e/ou não tinha quem lhe protegesse?

Ou seus pais ou adultos, que deveriam cuidar de si mesmos, estavam demasiadamente bêbados ou perturbados para cuidar de você ou para lhe levar ao médico caso fosse necessário?



6- Seus pais se separaram ou se divorciaram em alguma vez durante a sua infância?



7- A sua mãe ou madrasta...

Frequentemente foi agarrada, empurrada, estapeada ou lhe atiraram algum objeto?

Ou, às vezes, ou mesmo com frequência, foi agarrada com pontapés, mordidas, socos ou bateram nela com algum objeto forte?

Ou foi batida repetidamente durante alguns minutos ou ameaçada com uma faca ou com uma arma?



8- Viveu com alguém com problemas com álcool, que era alcóolico, ou que usava drogas?



9- Você viveu com alguém que estivesse deprimido, que tivesse algum problema psiquiátrico ou que tentou suicídio?



10- Alguma das pessoas que vivia com você foi para a prisão?






Fonte: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6220625/

Escala ACE: Felitti & Anda, 1998. Versão portuguesa Maia & Silva, 2007. Adaptação para o Brasil Esly Carvalho PHD., 2018.





#EscalaAce #TerapiaEMDR #Traumasinfantis